Sesc Digital exibe clássicos, destaques do cinema contemporâneo e vencedores do 48º Festival Sesc Melhores Filmes

12 abr 2022

Por Elton Telles

Além da vasta programação presencial do 48º Festival Sesc Melhores Filmes na sala do CineSesc, que exibe os grandes lançamentos do cinema no último ano, o público também pode conferir alguns títulos gratuitamente, sem a necessidade de fazer cadastro e no conforto de casa. Até o dia 27 de abril, a plataforma Sesc Digital disponibiliza dois clássicos que fizeram história no festival em edições passadas e seis destaques do cinema contemporâneo lançados em 2021, incluindo os vencedores desta edição “Valentina”, de Cássio Pereira dos Santos, e o doc musical “Chorão – Marginal Alado”, de Felipe Novaes.

O primeiro rendeu à jovem estreante Thiessa Woinbackk o prêmio pelo voto da crítica de Melhor Atriz. Ambientado em uma cidade no interior de Minas Gerais, “Valentina” narra o processo de adaptação da personagem-título, uma adolescente trans de 17 anos, em sua nova escola, onde faz questão de ser matriculada com o seu novo nome. Essa decisão vai desencadear algumas questões a serem resolvidas, como a autorização de seu pai ausente e enfrentar o preconceito entre os colegas de classe.

Além do reconhecimento no Festival Sesc Melhores Filmes, Thiessa já recebeu diversos prêmios pela sua atuação natural e convincente, como no Festival Mix Brasil, Mostra Internacional de Cinema em São Paulo, L.A. Outfest e no Festival Internacional de Cinema de Seattle.

“Chorão – Marginal Alado”, escolha do público como Melhor Documentário de 2021, resgata a trajetória de Chorão, vocalista do grupo Charlie Brown Jr. e um dos principais astros do rock nacional nos anos 1990 e 2000. Para os fãs da banda, o filme é um prato cheio, já que reúne imagens de acervo pessoal e entrevistas inéditas com ex-integrantes e profissionais da cena musical, que relatam as polêmicas e o apogeu do Charlie Brown Jr. até o seu término, anunciado com a morte precoce de seu líder, em 2013.  

Outros três filmes autorais do recente cinema brasileiro integram a programação online. Um deles é o agradável “Noites de Alface”, de Zeca Ferreira. Protagonizado pelos veteranos Marieta Severo e o paraibano Everaldo Pontes, a trama mostra a rotina pacata do casal sexagenário que ganha contornos de mistério com o sumiço repentino do carteiro que atende a vizinhança. O roteiro é adaptação do elogiado romance homônimo da escritora Vanessa Bárbara, lançado em 2013. 

Premiado com o Kikito de Ouro no Festival de Gramado, “King Kong en Asunción”, de Camilo Cavalcante, apresenta a jornada reflexiva de um velho matador de aluguel que está escondido na região desértica da Bolívia. Depois de cometer o seu último assassinato, ele viaja para a capital do Paraguai para conhecer a sua filha.

“King Kong en Asunción” é o segundo longa-metragem ficcional assinado por Cavalcante após o espetacular “A História da Eternidade” (2014). Em tom de despedida, o filme entrega uma atuação arrebatadora de seu protagonista, o experiente ator Andrade Júnior, que não teve a chance de conferir a obra concluída porque faleceu em 2019, aos 74 anos de idade. 

Outro candidato brasileiro disponível na plataforma é “O Palhaço, Deserto”, longa de estreia da diretora Patrícia Lobo. Encabeçado por dois atores  veteranos do teatro paulistano, Paulo Jordão e André Ceccato, o filme teve a sua première no Festival de Cannes e acompanha a nova fase da vida de Cidadão, que após 40 anos trabalhando como palhaço, se aposentou e vai ter de enfrentar um novo cotidiano. 

O representante estrangeiro do 48º Festival Sesc Melhores Filmes no Sesc Digital vem da Alemanha. “Lara”, do jovem cineasta Jan-Ole Gerster, encontra na protagonista Corinna Harfouch a intérprete ideal para a personagem-título, uma mulher que está prestes a completar 60 anos e não foi convidada para um concerto que vai transformar a carreira de seu filho, a quem ela dedicou todos os esforços para vê-lo triunfar como grande músico. Premiado em diversos festivais europeus, o drama trata sobre temas como maternidade e reconhecimento.

Clássicos em cartaz

Dentro da programação do festival, dois clássicos monumentais do cinema também estão disponíveis na plataforma Sesc Digital. Além de vencedores do Oscar de Melhor Filme Estrangeiro, o que une essas duas obras-primas é que ambas foram vencedoras pelo júri da crítica em edições anteriores do Festival Sesc Melhores Filmes. Tratam-se das produções “Mephisto” (1981), de  István Szabó, e “Amor” (2012), de Michael Haneke, vencedor da Palma de Ouro no Festival de Cannes. 

“Mephisto” adapta a história de Mefistófeles e do Doutor Fausto ao fazer com que o protagonista Hendrik Höfgen (papel de Klaus Maria Brandauer) abandone a consciência, traia seus amigos e venda sua arte para atuar e se agraciar com o Partido Nazista em troca da manutenção de seu trabalho, fama e posição social. Sua glória e queda remetem a história do próprio Partido Nazista.

Protagonizado por duas lendas do cinema francês, Jean-Louis Trintignant e Emmanuelle Riva interpretam em “Amor” um casal de aposentados apaixonados por música clássica. Certo dia, a esposa sofre um derrame e fica com um lado do corpo paralisado e, diante deste incidente, os idosos passam por graves obstáculos que colocarão a convivência e seus sentimentos em teste.

Carregando…

🏆 O primeiro e mais tradicional festival de cinema de São Paulo faz 48 anos! 🍿