Melhores filmes do ano concorrem ao Oscar em cerimônia em Hollywood

07 fev 2020

Domingo é dia de Oscar! Finalmente vamos saber quem foram os melhores do ano na opinião da Academia de Artes e Ciências de Hollywood. Na lista dos indicados, alguns dos melhores filmes do ano passado que você vai ter a chance de ver ou rever na tela grande no 46º Festival SESC Melhores Filmes.

PARASITA

O primeiro filme da Coreia do Sul a ser indicado na história do Oscar já chegou forte, sendo indicado em seis categorias, incluindo a cobiçada estatueta de melhor filme do ano. Uma mistura muito original de comédia de humor negro com um toque de suspense e um tanto de crítica social, está praticamente certo que o longa do diretor Bong Joon Ho vai levar o Oscar de melhor filme internacional – antigo filme estrangeiro. Nenhum outro longa levou tanto prêmio nos últimos anos – foram 178 desde que Parasita venceu a cobiçada Palma de Ouro no Festival de Cannes em maio do ano passado. E ainda teve Globo de Ouro e o Bafta, o Oscar do cinema inglês, nas últimas semanas.

CORINGA

Um filme sobre um vilão de história em quadrinhos pode render um filme mais artístico, um drama adulto sobre o peso da rejeição na vida de um homem comum? Coringa provou que sim ao receber 11 indicações ao Oscar, o recorde desta edição. Os críticos são unânimes em apontar Joaquin Phoenix como a grande interpretação do ano. Será que é desta vez, em sua quarta indicação, que ele leva?

O IRLANDÊS

Martin Scorsese é um dos grandes queridinhos do Oscar. Foram nada menos que 14 indicações por 10 filmes nas últimas quatro décadas – seja como diretor, roteirista e produtor. Ele, que venceu uma única vez, em 2007, pelo policial Os Infiltrados, volta ao páreo com uma grande saga de amizade e tradição, que somou dez indicações – incluindo Joe Pesci e Al Pacino como atores coadjuvantes. Mas, como o filme foi produzido pela Netflix e a Academia joga mais do lado dos estúdios tradicionais de Hollywood, O Irlandês pode repetir o que aconteceu no Globo de Ouro e sair de mãos abanando da cerimônia no domingo…

ERA UMA VEZ… EM HOLLYWOOD

Quentin Tarantino conquistou mais uma vez o coração dos fãs com esta homenagem à Hollywood dos anos 60, em que um galã decadente de faroestes (Leonardo DiCaprio) e seu dublê (Brad Pitt) dividem espaço com um novo pessoal que estava na crista da onda na época, como o diretor Roman Polanski e a diva Sharon Tate (Margot Robbie). Tarantino pode levar para casa seu terceiro Oscar como roteirista – ele ganhou por Pulp Fiction (1994) e Django Livre (2012). E Brad nunca esteve tão perto de vencer seu primeiro Oscar como ator (coadjuvante) após três indicações frustradas.

DOR E GLÓRIA

Outro que arrebatou corações em 2019 foi o espanhol Pedro Almodóvar. Ele fez um retorno triunfante às telas com Dor e Glória, um filme bastante pessoal em que fala sobre a dificuldade de envelhecer – na história, o cineasta Salvador Mallo é acometido de fortes dores na coluna, como o próprio Almodóvar na vida real – e a necessidade de, no fim da vida, reacessar zonas remotas da memória e da infância para fechar o ciclo da vida. Além de ser indicado a melhor filme internacional, Dor e Glória deu a Antonio Banderas sua primeira indicação ao Oscar como melhor ator.

DOIS PAPAS e DEMOCRACIA EM VERTIGEM

Vamos falar a verdade: é bem mais divertido acompanhar o Oscar quando temos o Brasil pra torcer! Este ano, o país está presente com dois belos filmes. Fernando Meirelles, diretor do aclamado Cidade de Deus (2002), é a mente por trás de Dois Papas, filme delicioso sobre os encontros entre os pontífices Francisco e Bento XVI, com diálogos inspirados entre o papa atual, de postura mais liberal, e o anterior, conhecido por suas posições conservadoras. Meirelles infelizmente não foi lembrado pela Academia, mas merece o crédito pelas indicações de Anthony Hopkins (Bento) e Jonathan Pryce (Francisco), além do roteiro adaptado.

Já Petra Costa parece ter fortes chances de dar ao Brasil a primeira estatueta de melhor documentário por Democracia em Vertigem, filme que traz um relato da diretora sobre os eventos que levaram ao impeachment da presidente Dilma Rousseff, à prisão do ex-presidente Lula e à eleição de Jair Bolsonaro.

O Oscar só dá pra assistir e torcer, mas no Festival SESC Melhores Filmes 2020 você pode votar nos seus filmes e artistas preferidos! Já deu seu voto?

https://melhoresfilmes.sescsp.org.br/

Carregando…