Um mundo de cabeça para baixo: os festivais de cinema na pandemia

14 mar 2021
Cate Blanchett no 77º Festival Internacional de Cinema de Veneza

Todos os cinéfilos sabem: no Brasil e no mundo, os festivais e premiações de cinema são as principais janelas de lançamento para filmes independentes, autorais e de baixo orçamento, que não contam com o investimento de Hollywood, ou a chancela de grandes plataformas de streaming, para encontrarem seu público.

A pandemia da covid-19 virou esse mundo de estátuas douradas e tapetes vermelhos de cabeça para baixo. Todos nasciam e tinham no encontro “presencial” a sua grande identidade, porém, desde março de 2020, tiveram que repensar em encontrar uma nova identidade no universo online. Entretanto, como há males que vêm para o bem, a nova onda de festivais online trouxe uma inusitada democratização desses eventos. Festivais que tradicionalmente acontecem para uma plateia seleta em salas de cinema de São Paulo, Gramado ou Brasília, por exemplo, tiveram sua programação disponibilizada para espectadores de todo o país, num alcance inédito e nunca visto antes.

O ano passado pareceu começar bem: o Festival de Sundance, nos EUA, congregou muita gente em meio à sua habitual neve; o Festival de Berlim transcorreu normalmente na capital alemã – mas com as primeiras notícias do vírus já surgindo no mundo –; o Globo de Ouro fez sua festa regada a jantar, champanhe e muitas estrelas; o Oscar transcorreu normalmente e ainda trouxe a ousadia de premiar um filme sul-coreano. Mas, a partir de meados de março, absolutamente tudo mudou. Veja abaixo um apanhado de como seguiram os eventos desde então:

46º FESTIVAL SESC MELHORES FILMES – O festival realizado pelo CineSesc, que ocorre tradicionalmente no mês de abril, teve de ser adiado para agosto de 2020. Pela primeira vez houve uma cerimônia toda online, transmitida ao vivo pelo YouTube, com apresentação da atriz Karine Telles. A cerimônia viu a absoluta consagração de Bacurau com oito prêmios. O diretor Kleber Mendonça Filho e o ator Silvero Pereira, entre outros integrantes da produção, participaram virtualmente de suas casas para agradecer os prêmios, em discursos emocionados e em defesa do cinema nacional. Marco Nanini também fez um discurso tocante pelo prêmio de ator principal no voto da crítica por Greta. No decorrer do mês de agosto, de maneira inédita, o público pôde ver gratuitamente alguns destaques do festival na recém lançada plataforma de streaming do Cinema #EmCasaComSesc.

73º FESTIVAL DE CANNES – O mais prestigiado evento de cinema do mundo, que acontece todo mês de maio na Riviera Francesa, teve que ser cancelado, pois os números da pandemia estavam muito altos na Europa, não deixando alternativas para a direção do festival. A consequência do cancelamento e a opção dos organizadores em não fazer o festival numa plataforma virtual, foi a de realizá-lo simbolicamente, divulgando a lista dos filmes selecionados com um “selo Cannes”.

Alguns desses filmes chegaram a aportar no streaming ao longo do ano: caso da animação Soul, da Pixar (Disney+) e do drama de tribunal Mangrove, parte do projeto Small Axe do britânico Steve McQueen, diretor de 12 Anos de Escravidão (Globoplay). Outros devem chegar em breve aos cinemas, como o dinamarquês Druk – Mais uma Rodada, de Thomas Vinterberg, indicado ao Globo de Ouro. E um brasileiro entrou na seleção: Casa de Antiguidades, primeiro longa-metragem de João Paulo Miranda Maria, estrelado pelo consagrado ator Antônio Pitanga, que em outubro foi exibido na 44ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo.

A edição deste ano do Festival de Cannes está prevista para acontecer presencialmente no mês de julho, dependendo ainda de como a cidade vai estar em relação a pandemia.

48º FESTIVAL DE GRAMADO – Um dos mais tradicionais festivais de cinema brasileiro, que acontece todo ano com tapete vermelho e muito chocolate quente na Serra Gaúcha, teve que acontecer inteiro no mundo virtual. Os filmes foram exibidos no Canal Brasil, enquanto os debates aconteciam no dia seguinte pela internet. Só que o lado virtual não apagou o brilho da programação, que contou com uma competição forte, reunindo veteranos como Ruy Guerra (Aos Pedaços) e jovens como Caetano Gotardo e Marco Dutra (Todos os Mortos). O grande vencedor da competição acabou sendo
King Kong en Asunción, do cineasta pernambucano Camilo Cavalcanti, sobre um matador de aluguel que se esconde no interior da Bolívia.

77º FESTIVAL DE VENEZA – O festival mais antigo do mundo ocorreu presencialmente em setembro de 2020, aproveitando a baixa da curva dos números da pandemia na Europa em agosto. Pela primeira vez, viu-se as imagens de grandes celebridades desfilando de máscara no tapete vermelho, como a presidente do júri Cate Blanchett.

As aglomerações em torno do Lido estavam proibidas, mas foram vistas aqui e ali algumas junções de pessoas sem máscaras. A seleção incluiu o primeiro filme de Pedro Almodóvar falado em inglês, o média-metragem The Human Voice, com a atriz Tilda Swinton; e o mexicano Nova Ordem, de Michel Franco. O Leão de Ouro foi para a produção norte-americana Nomadland, com Frances McDormand, que chegou forte na temporada de premiações de 2021.

44ª MOSTRA INTERNACIONAL DE CINEMA DE SÃO PAULO – Como as salas de cinema ainda não estavam 100% abertas em outubro, o mais prestigiado evento da capital paulista também decidiu migrar todo para o universo online. Foram quase 200 produções inéditas de 71 países exibidas na plataforma Mostra Play, com destaque para Coronation, documentário do artista plástico chinês Ai Weiwei, filmado na região de Wuhan, onde surgiu o vírus Sars-CoV-2; e o iraniano Não Há Mal Algum, vencedor do Urso de Ouro em Berlim. O chinês Jia Zhang-Ke assinou a arte do pôster e a tradicional vinheta da Mostra, além de apresentar seu novo longa, Nadando Até o Mar se Tornar Azul. O único evento presencial foi a sessão de abertura
para convidados, com a exibição do mexicano Nova Ordem, no Belas Artes Drive-In, no Memorial da América Latina.

53º FESTIVAL DE BRASÍLIA – O festival mais politizado do Brasil também atrasou no primeiro ano da pandemia, começando no dia 15 de dezembro. E optou por um esquema semelhante ao do Festival de Gramado, com os filmes sendo exibidos no Canal Brasil e debates online. Foram 30 longas brasileiros inéditos e curadoria foi assinada pelo cineasta Silvio Tendler. O evento de maior destaque foi um encontro online entre Silvio e o cineasta britânico Ken Loach, que de Londres falou sobre sua preocupação com a precarização do mundo do trabalho em tempos de pandemia.

Amy Pohler e Tina Fey no Globo de Ouro 2021

GLOBO DE OURO 2021 – As maiores premiações de Hollywood, que tradicionalmente acontecem no primeiro trimestre do ano, sofreram fortes adiamentos. O Globo de Ouro, que geralmente ocorre no máximo até 10 de janeiro, neste ano aconteceu em 28 de fevereiro, com os premiados agradecendo via transmissão online. Até as apresentadoras estavam bem distantes: Amy Poehler em Los Angeles e Tina Fey em Nova York. No auditório onde normalmente acontece a entrega dos prêmios, algumas poucas mesas foram ocupadas por enfermeiros que atuam no combate à COVID-19. Nas categorias principais, Nomadland e Borat 2: Fita de Cinema Seguinte, foram consagrados em melhor filme drama e comédia, respectivamente.

OSCAR 2021 – Já o Oscar, normalmente apontado para final de fevereiro, este ano vai acontecer em 25 de abril. As indicações saem amanhã, dia 15 de março, e os organizadores da cerimônia ainda não anunciaram como será o esqueleto da premiação. Segundo sites internacionais especializados, há uma boa chance de ser uma cerimônia mista, com apresentador e alguns poucos convidados (talvez os indicados nas categorias principais) presentes, no tradicional Dolby Theater em Los Angeles, enquanto boa parte dos agradecimentos se daria online mesmo.

FESTIVAL DE BERLIM 2021 – A Berlinale foi o primeiro entre os grandes festivais europeus a testar seu modelo 100% online, na edição que ocorreu em apenas cinco dias, nos últimos dias 1º a 5 de março. Imprensa e profissionais de mercado puderam assistir aos filmes da competição principal e seções paralelas, numa plataforma de streaming dentro do site do festival. Um encontro presencial está prometido para junho na capital alemã, caso a pandemia permita. Numa edição com longas inéditos de alguns diretores conhecidos, como o sul-coreano Hong Sang-soo e a francesa Céline Sciamma, o Urso de Ouro foi consagrado à comédia romena
Bad Luck Banging or Loony Porn, de Radu Jude, sobre a própria pandemia e a era das fake news:

47º FESTIVAL SESC MELHORES FILMES – No próximo dia 14 de abril o Brasil vai poder ficar ligado para a cerimônia de abertura de mais uma edição do Festival Sesc Melhores Filmes. Nela, vamos conhecer todos os premiados da crítica especializada e do público, com participação de diretores e atores que apresentaram belos trabalhos num ano tão difícil como o de 2020. Em seguida, um filme inédito no circuito comercial para ser assistido online, no conforto da sua casa. E a partir do dia 15, uma incrível seleção dos melhores filmes, vai estar na plataforma do Cinema #EmCasaComSesc para você conferir aberta e gratuitamente. Até lá!

Carregando…

🏆 O primeiro e mais tradicional festival de cinema de São Paulo faz 47 anos! 🍿