“Luz, câmera, ação!”: os preferidos do público e da crítica quando o assunto é Melhor Fotografia

10 abr 2021
Fargo, de Joel e Ethan Coen

Todo ano acompanhamos os prêmios da categoria Melhor Fotografia nas premiações de cinema, do Oscar ao Festival Sesc Melhores Filmes. Entretanto, muita gente ainda tem a dúvida: o que faz exatamente o diretor de fotografia – ou fotógrafo – em um filme?

É a pessoa responsável por toda a parte visual do filme, e possivelmente o mais importante da equipe ao lado do diretor, pois é quem captura a cara final do filme: sua luz e seus movimentos, o visual que vai ficar, enfim, impresso na mente do espectador. Por isso, seu trabalho tem duas grandes vertentes. A primeira é pensar a luz e as cores do filme, escolhendo os melhores filtros e lentes e cuidando para que tudo tenha uma coerência e unidade. Parece fácil, mas não é – se isso não for feito, o filme fica parecendo uma “colcha de retalhos”, cada cena filmada com uma luz e um aspecto visual diferente.

A segunda, igualmente fundamental para o DNA do filme, é coordenar o trabalho dos operadores de câmera, tomando várias decisões junto com o diretor: numa cena, onde estará a câmera e que plano será filmado? Optar por um filme de planos fixos, a famosa “câmera parada”, ou outro mais ágil, com muitos movimentos de câmera? Câmera na mão, com todos os movimentos perceptíveis pelo espectador, ou a “steadycam”, que dá firmeza e estabilidade aos movimentos?

Alguns dos diretores de fotografia mais renomados do mundo são: o italiano Vittorio Storaro (Apocalypse Now, O Último Imperador), os mexicanos Emmanuel Lubezki (Gravidade, A Árvore da Vida) e Rodrigo Prieto (Babel, O Lobo de Wall Street), o britânico Roger Deakins (Fargo, Onde os Fracos Não Têm Vez) e o australiano Christopher Doyle (Amor à Flor da Pele, Cinzas do Passado Redux). Como em outras áreas do cinema, também na fotografia ainda existe a predominância dos homens que, infelizmente, ofusca as diretoras de fotografia de renome internacional.

Entretanto, certamente, a fotógrafa cinematográfica mais prestigiada atualmente é a francesa Agnès Godard, cujo parentesco com o cineasta Jean-Luc Godard inexiste. Agnès fotografou Asas do Desejo, de Wim Wenders, e é parceira fiel da cineasta renomada Claire Denis (35 Doses de Rum, Deixe a Luz do Sol Entrar).

No Festival Sesc Melhores Filmes, o público e a crítica escolhem todo ano a Melhor Fotografia em um filme brasileiro. Vamos relembrar alguns dos premiados desses últimos anos? Elencamos abaixo os vencedores.

Bacurau, de Kleber Mendonça Filho

Em 2020, o público escolheu em peso a fotografia de Pedro Sotero para Bacurau, com sua aridez do sertão e sequências ágeis de ação. Já a escolha da crítica ficou com a luz de época em tons mais escuros de Helène Louvart para A Vida Invisível. Em 2019, os cinéfilos elegeram a fotografia em preto-branco de Walter Carvalho em O Beijo no Asfalto, peça teatral de Nelson Rodrigues adaptada para o cinema pelo Murilo Benício. E os críticos ficaram com as luzes noturnas de Rui Poças para As Boas Maneiras, combinação de drama e terror com direção e roteiro da dupla Juliana Rojas e Marco Dutra.

Há três anos, em 2018, dois filmes bem diferentes captaram as atenções de público e crítica. O público elegeu o trabalho de Gustavo Hadba em A Glória e a Graça, filme em que Carolina Ferraz vive uma mulher trans, enquanto a crítica se encantou com a divagação existencialista do personagem histórico Tiradentes em Joaquim, de Marcelo Gomes, com a fotografia de Pierre de Kerchove.

Em 2017, as luzes das boates e dos palcos de Elis, a biografia da cantora brasileira Elis Regina, com visual de Adrian Teijido, foi o filme escolhido pelo público. Já a crítica elegeu o trabalho do fotógrafo Diego García, com as luzes do sertão do pernambucano Boi Neon, de Gabriel Mascaro.

E cinco anos atrás, em 2016, Que Horas Ela Volta?, de Anna Muylaert, conquistou o público, além de Melhor Filme, também com sua fotografia, assinada por Bárbara Alvarez. E a crítica preferiu os espaços abertos de outro pernambucano, A História da Eternidade, de Camilo Cavalcante, com a foto de Beto Martins.

Fiquem ligados na cerimônia de abertura e premiação do 47º Festival Sesc Melhores Filmes, no próximo dia 14 de abril, no canal do CineSesc no YouTube. Na noite do evento você vai conhecer os escolhidos pela crítica e público da melhor fotografia de 2021, além de outros prêmios importantes. O festival acontece com exibição de mais de 30 filmes, de 15 de abril a 5 de maio, pela plataforma do Sesc Digital na série Cinema #EmCasaComSesc. Preparem-se!

Carregando…

🏆 O primeiro e mais tradicional festival de cinema de São Paulo faz 47 anos! 🍿